Última hora
This content is not available in your region

Cinema europeu com ajudas públicas autorizadas por mais três anos

Cinema europeu com ajudas públicas autorizadas por mais três anos
Tamanho do texto Aa Aa

Boas notícias para o cinema europeu, no VI Dia da Europa do Festival de Cannes: As ajudas públicas à indústria cinematográfica vão manter-se, pelo menos, até 2012, em vez de 2009, assim decidiu a Comissão Europeia. O cinema continua, pois, a ser uma excepção às regras do mercado livre. E ainda bem, garante o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso: “Se deixássemos o mercado funcionar, num domínio como o da cultura, não poderíamos ajudar certas expressões culturais, por vezes minoritárias, mas de grande qualidade e mesmo vanguardistas.”

Bruxelas continua também a apoiar o cinema europeu através do Media. Criado em 1989, este programa ajuda à promoção das obras audiovisuais europeias. Para Christian Mungiu, Palma de Ouro do ano passado com o filme “4 meses, 3 semanas e 2 dias”, e padrinho deste Dia da Europa, o cinema do Velho Continente enfrenta agora novos desafios: “Como produzimos muitos filmes, a sua difusão e distribuição não será fácil. E uma das coisas mais importantes na qual temos de pensar é na pirataria. Porque as pessoas gostam do nosso trabalho, mas nem sempre da forma que apoiaria a produção de mais filmes – isto é, nem sempre os compram.”

Pirataria à parte, a Comissão Europeia aposta na diversidade cultural. E prevê alargar o programa Media a países exteriores à União Europeia. O Media Mundus ou Media Internacional deverá desenvolver estratégias de cooperação com outras regiões do mundo, como explica a comissária Viviane Reding: “Este ano, perguntámo-nos: ‘o que é que faz o cinema europeu, face ao cinema do resto do mundo?’ Por isso, vamos apoiar o cinema da Europa face ao exterior, face aos outros continentes.”

Durão Barroso e Viviane Reding discutiram o assunto com vários ministros da Cultura da Europa, em Cannes. Uma proposta concreta deverá surgir até ao final do ano. Depois do encontro, os responsáveis europeus festejaram o centenário de Manoel de Oliveira, com a projecção da primeira curta-metragem do realizador, “Douro, Faina Fluvial”, de 1931.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.