Última hora
This content is not available in your region

Société Générale apresenta detalhes da fraude

Société Générale apresenta detalhes da fraude
Tamanho do texto Aa Aa

Depois das diatribes do corretor Jérôme Kerviel, o banco francês Société Générale decidiu apostar o tudo por tudo na transparência.

Antes da assembleia-geral de accionistas, marcada para esta terça-feira, o banco publicou os relatórios dos dois inquéritos, um feito pela própria Societé Générale, outro pela empresa de auditoria PricewaterhouseCoopers, a respeito da fraude que fez o banco perder quase cinco mil milhões de euros.

Ao constituír uma série de carteiras de acções fraudulentas, Kerviel fintou os controlos do banco e investiu na bolsa 50 mil milhões de euros. O resultado destas acções foi um prejuízo de 4,9 mil milhões de euros. Desde há um ano, o preço das acções da Societé Générale caíu para metade.

Embora não tenha estado envolvido no escândalo, o presidente executivo do banco, Daniel Bouton, foi uma das principais vítimas. Nesta assembleia-geral vai ceder o lugar a um novo homem-forte, Frédéric Oudéa, e passar para a presidência não-executiva.

Para gerir este caso, a administração nomeou um comité especial, presidido pelo antigo homem-forte da Peugeot, Jean-Martin Folz. É ele quem vai apresentar, à assembleia-geral, as conclusões dos dois inquéritos.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.