A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Polónia estraga festa do primeiro dia da presidência francesa

Polónia estraga festa do primeiro dia da presidência francesa
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Foi em ambiente de festa e alguma angústia em relação ao futuro que França assumiu a presidência da União Europeia. Uma festa estragada pela Polónia que decidiu não ratificar o Tratado de Lisboa.

Isso mesmo foi anunciado pelo presidente Lech Kaczinski, para quem o documento não tem significado depois do Não Irlandês em referendo.

O segundo Não, o da Polónia, surge como uma surpresa para os Estados-membros, uma vez que foram o presidente e o primeiro-ministro polacos que prepararam o terreno para a aprovação do Tratado por via parlamentar. No entanto, de acordo com a Constituição polaca, falta ainda a ratificação por parte do chefe de Estado.

Nicolas Sarkozy terá portanto seis meses intensos à frente da União.

O presidente francês reconhece que o Não Irlandês torna tudo mais difícil para todos. Os 27 Estados-membros são unânimes e estão de acordo com o texto. Dezanove ratificaram o Tratado de Lisboa. A prioridade agora é guardar o problema para os irlandeses e os outros países deverão continuar o processo de ratificação, como é o caso da República Checa.

Mas também na República Checa o Sim está longe de ser alcançado. O eurocepticismo é fomentado por alguma parte da direita conservadora no poder, da qual faz parte o presidente Vaclav Klaus.