Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Eleições antecipadas à vista na Áustria

 Eleições antecipadas à vista na Áustria
Tamanho do texto Aa Aa

Após um ano e meio de governo, o executivo de coligação austríaco chegou ao fim.

O líder do Partido Popular e ministro das Finanças anunciou esta segunda-feira que abandonava a impopular coligação.

Durante uma conferência de imprensa, em Viena, Wilhelm Molterer acusou os sociais-democratas do SPO de não respeitarem o programa comum de governo.

Depois de uma série de desentendimentos em torno das reformas da saúde, da educação e da fiscalidade, o pretexto para a ruptura foi a proposta do SPO de organizar um referendo para cada alteração nos tratados europeus, nomeadamente no que toca a futuros alargamentos.

Molterer considerou que se trata de uma “proposta populista” para tentar recuperar as boas graças da opinião pública.

Pouco depois deste anúncio, o chanceler Alfred Gusenbaueur anunciou que não se candidatava às eleições antecipadas previstas para Setembro.

Em queda nas sondagens, o chefe do executivo austríaco sugeriu o nome do ministro das infra-estruturas para candidato ao cargo de primeiro-ministro.

Werner Faymann aliado do chanceler que dirige o partido desde o mês passado é considerado como o mentor da recente política euro-céptica dos sociais-democratas.