A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Tribunal considera-se incompetente para julgar ONU

 Tribunal considera-se incompetente para julgar ONU
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Na véspera do 13º aniversário do massacre de Srebrenica, os familiares das vítimas receberam um presente amargo.

O tribunal holandês, a quem foi apresentada uma queixa contra as Nações Unidas, por responsabilidade no massacre, declarou-se incompetente para julgar o caso, privilegiando o argumento do Estado holandês de que a ONU possui imunidade estatutária.

“Disseram que a Convenção sobre Genocídio é menos importante do que a absoluta imunidade das Nações Unidas. É, de facto, muito perigoso, porque significa que os soldados das Nações Unidas podem fazer o que lhe apetecer porque não é possível processá-los… só em termos civis mas nunca criminalmente. Por isso, as vítimas, os familiares, e as mães de Srebrenica não têm direitos”, declarou o advogado dos queixosos.

O massacre ocorreu em 1995 durante a guerra da Bósnia. Os familiares dos cerca de 8000 rapazes, homens e idosos exterminados, acusam as tropas holandesas da ONU de permitirem às forças sérvias da Bósnia levarem adiante aquele que é considerado o pior genocídio europeu depois da II Guerra Mundial.