Última hora
This content is not available in your region

Estaleiros navais polacos continuam mobilizados

 Estaleiros navais polacos continuam mobilizados
Tamanho do texto Aa Aa

Os trabalhadores dos estaleiros navais polacos voltaram a manifestar-se, esta quarta-feira. Receiam pelos postos de trabalho, mesmo se Bruxelas alargou, até Setembro, o prazo para que Varsóvia apresente os planos de restruturação de Gdansk, Gdynia e Szczecin.

Sem esses planos, os estaleiros terão de reembolsar as ajudas públicas recebidas. O porta-voz de Bruxelas é claro: “A Comissão tem de tratar todos os estaleiros de todos os Estados membros de forma idêntica; tem de garantir que nenhum estaleiro tem vantagens competitivas desleais que poderiam provocar a perda de postos de trabalho noutros Estados membros, como resultado de subsídios injustos.”

Sindicatos e patronato polaco receiam o encerramento dos estaleiros navais, se tiverem de reembolsar os mais de mil milhões de euros de ajudas. Para Artur Trzeciakowski, director-geral de Szczecin, os estaleiros têm futuro: “Este estaleiro merece continuar a funcionar. Não só porque, aqui, construímos navios que ganham prémios europeus, mas também, e antes de mais, porque temos um nível de qualidade e de tecnologia que nos permite competir com sucesso no mercado mundial.”

Varsóvia tem, pois, até Setembro, para garantir a viabilidade dos estaleiros. Uma nova dilatação do prazo que ocorre no mesmo momento em que Bruxelas tenta convencer o presidente polaco a assinar o Tratado de Lisboa que o parlamento já ratificou.