Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Troca de prisioneiros e restos mortais: Festa no Líbano, consternação em Israel

 Troca de prisioneiros e restos mortais: Festa no Líbano, consternação em Israel
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A troca arrancou esta quarta-feira de manhã com o Hezbollah a entregar os caixões com 2 soldados israelitas mortos, entretanto identificados como Ehud Golwasser e Eldad Regev, alegadamente raptados em 2006 junto à fronteira libanesa.

Recorde-se que foi este incidente a precipitar a guerra de 34 dias entre Israel e o Hezbollah que matou mais de 1 milhar de libaneses e cerca de 160 israelitas.

Os corpos dos soldados israelitas foram identificados com recurso a testes de ADN.

No cumprimento do acordo patrocinado pela ONU e mediado pela Cruz Vermelha, foi a seguir a vez de Israel entregar os restos mortais de militantes do Hezbollah.

Os cadáveres foram recebidos com pompa e circunstância no lado libanês da fronteira de Naqura.

O acordo prevê a entrega de 200 militantes do Hezbollah mortos, um momento histórico muito celebrado pela população.

Mas se no Líbano o tempo é de celebração, em Israel, há quem veja nesta troca um triunfo da milícia xiita sobre o Estado hebreu e mais uma humilhação ao frágil governo de Ehud Olmert

São muito os que se interrogam sobre as vantagens da troca de 5 prisioneiros vivos e de mais umas centenas de restos mortais por dois soldados mortos.