Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Crise política ensombra Festa Nacional belga

 Crise política ensombra Festa Nacional belga
Tamanho do texto Aa Aa

As divergências entre flamengos e francófonos voltam a ensombrar a Festa Nacional belga.

Esta segunda-feira, Bruxelas comemora a ascensão ao trono de Leopoldo I, o primeiro rei do país em 1831. Mas a instabilidade política promete dominar as festividades.

No domingo, o rei Alberto II apelou à união e à tolerância para pôr fim à crise que afecta o país há mais de um ano. Para o monarca as divisões não devem ser entendidas como uma fatalidade e, afirma, que é tempo para ultrapassar as dificuldades.

Palavras inéditas do rei numa altura em que a Bélgica atravessa um dos momentos políticos mais críticos da história.

Ao fim de quatro meses, o primeiro-ministro, Yves Leterme, apresentou a demissão depois de não ter conseguido apoio às propostas de reforma. O pedido foi recusado pelo monarca, mas a fragilidade do executivo é cada vez mais evidente.

Em 2007, ao ser questionado sobre o que comemoram os belgas a 21 de Julho, o líder do partido Cristão Democrata Flamengo respondeu: a proclamação da Constituição.

A data ficou, também, marcada por uma outra gaffe quando à entrada de uma missa que assinalava o dia nacional, Leterme trocou o hino belga pelo francês.