Última hora
This content is not available in your region

Ucranianos querem Igreja ortodoxa independente de Moscovo

 Ucranianos querem Igreja ortodoxa independente de Moscovo
Tamanho do texto Aa Aa

Apesar da pompa e circunstância, as celebrações dos mil e vinte anos da cristianização da Rússia escondem uma verdadeira querela política.

Bartolomeu I chegou esta sexta-feira à Ucrânia, berço da ortodoxia russa, para participar nas festividades religiosas.

O patriarca ecuménico de Constantinopla foi recebido pelo presidente ucraniano, Victor Iuchenko, e deverá rezar uma missa com o patriarca de Moscovo.

Mas o conflito latente entre ortodoxos ficou bem patente nas primeiras declarações de Bartolomeu I, que apelou aos ortodoxos ucranianos para se unirem numa mesma igreja.

O problema é que duas igrejas ortodoxas ucranianas querem ser independentes, como refere um bispo da Igreja Ucraniana Ortodoxa Independente:

“A Ucrânia tem o direito de ter a sua própria Igreja. Infelizmente, Moscovo está a negar-nos esse direito da mesma forma que se opõe à noção da Ucrânia como um estado independente”.

O presidente ucraniano nega qualquer ingerência nas questões religiosas mas numerosos analistas afirmam que Iuchenko deseja a criação de uma igreja ucraniana unida.

Um intento que esbarra na recusa do patriarca de Moscovo que teme perder influência na Ucrânia.