Última hora

Camboja: oposição denuncia irregularidades

Camboja: oposição denuncia irregularidades
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Mais de oito milhões de pessoas foram chamadas a pronuciar-se nas legislativas do Camboja.

Um escrutínio que deverá reconduzir ao cargo o actual chefe de governo, Hun Sen, no poder há 23 anos.

As urnas de voto já encerraram. As autoridades garantem que a votação decorreu sem incidentes. A oposição diz que muitos apoiantes foram excluídos das listas de voto.

O escrutínio é contestado pelos 11 partidos e pelos observadores internacionais que falam de irregularidades.

A campanha eleitoral foi marcada por diferendos com a Tailândia no norte do país, junto à fronteira.

Milhares de soldados dos dois países foram mobilizados para a zona do templo Preah Vihear, que este mês passou a pertencer ao património mundial da Unesco.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.