Última hora
This content is not available in your region

Pelo menos 64 mortos em mais um atentado no Paquistão

 Pelo menos 64 mortos em mais um atentado no Paquistão
Tamanho do texto Aa Aa

O Paquistão está mergulhado num mundo de incertezas quanto ao futuro.

No dia seguinte ao atentado que matou 64 pessoas e feriu 60 perto de Islamabad, todos se perguntam até onde irá o braço de ferro entre islamitas radicais e o poder político.

A verdade é que já eram esperadas consequências depois da ofensiva militar que o exército paquistanês desencadeou em zonas tribais junto à fronteira com o Afeganistão, por pressão dos Estados Unidos.

O porta-voz do Movimento dos Taliban no Paquistão reinvidiou em nome do grupo o ataque de quinta-feira. Maulvi Omar ameaçou lançar uma série de kamikases em várias cidades do país, incluíndo Islamabad.

Tanto os Taiban como a Al-Qaida declararam guerra santa contra o presidente e o exército que o apoiava na sequência do assalto à Mesquita vermelha em Julho do ano passado.

Pervez Musharraf anunciou há poucos dias o abandono do cargo. Para alguns analistas, o país está mais vulnerável do que nunca ao terrorismo.

Os dois partidos vencedores das legislativas de Fevereiro continuam a tentar encontrar o consenso sobre o sucessor de Musharraf na presidência.