A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Georgianos regressam às zonas ate ontem ocupadas pelas tropas russas

Georgianos regressam às zonas ate ontem ocupadas pelas tropas russas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

É um cenário de devastação, marcado ainda pela presença de postos de controlo russos, aquele que os habitantes georgianos descobrem, à medida que regressam às cidades até ontem ocupadas.

Os soldados georgianos retomaram esta manhã o controlo da base de Senaki, uma das maiores do país, junto à região da Abcásia.

Depois de 15 dias de cerco russo terem provocado um número ainda indeterminado de vítimas, o governo georgiano dá conta de pilhagens em vários edifícios públicos, bancos e casas particulares.

A polícia georgiana reiniciou esta manhã o patrulhamento de Gori, depois da retirada das tropas russas. As autoridades preparam agora o regresso dos mais de uma centena de milhares de refugiados que escaparam aos combates. Centenas de soldados russos permanecem, no entanto, a cinco quilómetros da cidade, no posto de controlo da aldeia de Karaleti.

No mercado de Gori o sentimento geral é de revolta: “Em Kurta, onde vivo, todos os habitantes abandonaram a aldeia. Os russos arrasaram a povoação que dizem agora pertencer à Rússia. É assustador”.

Outro afirma que os russos “destruíram tudo” e que está contente, “por terem partido”. “Temos medo que regressem, mas o mais importante agora é reconstruir as zonas devastadas”.

Várias equipas de desminagem foram enviadas para a cidade, onde, segundo a organização Human Rights Watch, permanecem centenas de bombas de fragmentação.