Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Festa nas províncias independentistas pelo voto do parlamento russo contrasta com a consternação no Ocidente.

 Festa nas províncias independentistas pelo voto do parlamento russo contrasta com a consternação no Ocidente.
Tamanho do texto Aa Aa

Festa na Abcásia e na Ossétia do Sul a contrastar com a consternação no Ocidente depois do parlamento russo ter aberto o caminho ao reconhecimento da independência das províncias separatistas da Geórgia.

Nas ruas de Tskhinvali, na Ossétia do Su,l a população russófona celebrou o voto da Duma:

“Vamos ter uma vida normal, com paz, calma, liberdade e a possibilidade de desenvolver-nos”, explicou uma habitante da capital osseta.

“Estou feliz e encantada. Esperamos muito por este momento” afirmava em lágrimas outra habitante de Tskhinvali.

No terreno, a Rússia afirma já só ter na Geórgia as forças de manutenção da paz, algo que nem Tbilissi nem o Ocidente acreditam.

Na Abcásia, o exército separatista assumiu o controlo de uma base georgiana abandonada. A televisão russa mostrou imagens de bombas de fragmentação, munições com inscrições em inglês e afirma que foram também encontradas armas de destruição maciça no local abandonado pelas tropas da Geórgia.

As duas câmaras do parlamento russo aprovaram esta segunda-feira por unanimidade resoluções a favor do reconhecimento da independência das duas províncias separatistas da Geórgia.

O voto não é vinculativo. Uma decisão final será tomada pelo presidente russo, que pode utilizar o voto do parlamento como moeda de troca nas negociações com o Ocidente.

Na residência de verão em Sochi, a poucos quilómetros da Abcásia, Dimitry Medvedev, afirmou que o seu país não tem medo das ameaças que têm sido feitas pela Casa Branca, nomeadamente de um eventual corte de relações com a NATO.