Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Karadzic declara-se inocente perante o tribunal

Karadzic declara-se inocente perante o tribunal
Tamanho do texto Aa Aa

“Inocente”, foi a fórmula que o tribunal reteve da resposta de Radovan Karadzic, quando o ex-lider sérvio da Bósnia se recusou a responder directamente às questão do juiz.

Karadzic enfrenta 11 acusações, 6 de genocínio, 5 de crimes de guerra e, neste segundo dia de presença no tribunal, deveria ter respondido por cada uma delas se se considerava culpado ou inocente. Face à ausência de resposta, o tribunal retém a fórmula, inocente.

Karadzic insiste na estratégia dilactória do julgamento e pede resposta ao requerimento de anulação do processo que tinha apresentado. Mas o juiz começou a fixar datas. A documentação -incluindo o novo acto de acusação – ser-lhe-à fornecida até ao dia 17 de Setembro, altura em que, numa conferência, serão dadas respostas a todas as suas perguntas. A partir daí o acusado tem 30 dias para contestar e requerer tudo o que entender.

Entre as acusações de que é alvo está a responsabilidade pelo massacre de oito mil homens e rapazes muçulmanos em Srebrenica; a detenção de milhares e morte de centenas de civis em campos de detenção, como o de Keraterm na região de Prijedor, no sudoeste da Bósnia ou o tristemente famoso cerco de Sarajevo.

Para o procurador do TPI, Radovan Karadzic é o cérebro da limpeza étnica lançada com o apoio de Belgrado contra muçulmanos e croatas durante a guerra da Bósnia, na qual perderam a vida cerca de cem mil pessoas.