Última hora
This content is not available in your region

Divergências sobre redução das emissões de CO2

 Divergências sobre redução das emissões de CO2
Tamanho do texto Aa Aa

Ministros do Ambiente dos 27 reunidos no Luxemburgo, à procura de acordo difícil, para um programa de luta contra as alterações climáticas.

A ministra italiana foi a primeira a manifestar discordância.

Stefania Prestigiacomo considerou que a proposta apresentada não pode merecer o acordo de Itália. Precisa de ser muito mexida.

Um encontro difícil, por causa das inevitáveis restrições à produção industrial, num momento de recessão económica.
Outros estados desconfiam da proposta, o que irritou a presidência francesa:

“Claramente, o desejo de todos, todos, é fechar o acordo sob reserva, tendo em conta as especificidades particulares, as grandes dificuldades de alguns Estados, em certos dossiers. Mas não nos foi dito, não fomos mandatados, para suspender o pacote”, disse o ministro francês da Ecologia, Jean-Louis Borloo

Consenso ainda distante, com muitos estados a temerem restrições nas emissões de CO2, num momento de grave crise económica.

Isto pode comprometer o objectivo de reduzir as emissões de CO2, em 20 por cento, até 2020.

Yvo De Boer, responsável das Nações Unidas para a
luta contra as alterações climáticas teme que a Europa, com tanta divisão, acabe por não dar o exemplo, que se esperava.

Os contrutores de automóveis são os que mais temem a proposta francesa. Dizem que só com um ajuda de 40 mil milhões de euros podem baixar a produção e reduzir os efeitos poluentes dos carros.