Última hora

Bolsa de Buenos Aires reage negativamente às medidas do governo

 Bolsa de Buenos Aires reage negativamente às medidas do governo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os investidores castigaram fortemente a decisão do governo argentino de nacionalizar o sistema privado de pensões. A Bolsa de Buenos Aires fechou com uma queda de 10,11%, depois do indíce Merval ter atingido uma perda de mais de 17%. A reacção da Bolsa deve-se principalmente ao facto da entidade gestora dos fundos privados de reformas, a AFJP, ser a investidora de maior peso nos mercados argentinos.

O executivo de Cristina Kirchner explica que a nova legislação serve para evitar a falência, mas as 10 empresas pertencentes à AFJP insistem que se encontram numa boa situçao financeira. A medida também foi mal acolhida pelos cidadãos.

Um reformado de Buenos Aires exige a “liberdade de fazer o que quiser” com o seu dinheiro, não quer ser “forçado” sobretudo pelo governo. Uma outra argentina, empregada de um fundo de pensões, critica a prepotência do governo e a política que está a levar a cabo.

Dias difíceis esperam a bolsa argentina. Por questões fiscais, a AFJP, controlada por capitais nacionais, mas também norte-americanos e europeus foi proibida de operar no mercado nos próximos 7 dias.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.