Última hora
This content is not available in your region

McCain ataca plano fiscal de Obama

 McCain ataca plano fiscal de Obama
Tamanho do texto Aa Aa

Mudam os Estados, mas a estratégia dos candidatos à Casa Branca mantém-se inalterada. Depois do New Hampshire, John McCain esteve no Ohio lado-a-lado com Sarah Palin. Entre revelações de facturas astronómicas de guarda-roupa e declarações erradas sobre as funções da vice-presidência, a “número dois” da candidatura republicana afunda-se cada vez mais nas sondagens.

Em Cincinnati, McCain acusou o rival democrata de “alterar o plano de impostos” depois da população norte-americana “não ter gostado” do projecto. Segundo o senador do Arizona, “isso constitui um bom exemplo de que [Obama] fará tudo para ser eleito”.

O candidato democrata levou a campanha para a Virginia, Estado que segundo as sondagens, pode sair das mãos dos republicanos pela primeira vez desde 1964. Obama voltou a desvirtuar os ataques de McCain e insistiu no trunfo da economia.

O senador do Illinois sublinhou que “o povo não quer ouvir os políticos a atacarem-se, mas sim saber como vão atacar os desafios das famílias da classe média”. Obama frisou que esse será o tema da campanha e aquilo que fará enquanto presidente, pois pode “aguentar mais duas semanas de ataques de McCain, mas o povo norte-americano não pode aguentar mais quatro anos do mesmo”.

Os últimos estudos de opinião continuam a dar uma vantagem nacional de 5 a 10 pontos a Obama, que surge agora como favorito em vários Estados-chave conquistados pelos republicanos em 2004.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.