Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Mesmo ausente da campanha, Obama ganha vantagem

Mesmo ausente da campanha, Obama ganha vantagem
Tamanho do texto Aa Aa

A candidata republicana à vice-presidência Sarah Palin teve ontem de interromper a campanha para responder a uma comissão de inquérito sobre um alegado abuso de poder.

A governadora do Alasca é acusada de ter demitido um responsável da segurança regional por alegadamente se ter recusado a despedir o genro.

O caso ameaça abalar o campo republicano, num momento em que Barack Obama conta com uma vantagem de 9 pontos nas sondagens, encontrando-se empatado com o rival no bastião republicano da Florida.

A menos de duas semanas das eleições, John McCainn voltou ontem à carga contra a política fiscal de Obama, criticando a decisão de aumentar os impostos em tempo de crise. Um discurso que não abala a popularidade do candidato democrata, reforçada pelo protagonismo de Michelle Obama já em pose de primeira dama, nas últimas 24 horas.

Michelle substituiu ontem o marido num comício do Ohio, depois de Obama ter interrompido a campanha para visitar uma avó de 86 gravemente doente. Uma ausência que promete aumentar ainda mais a popularidade do candidato.

Em tempo de crise financeira o carisma não parece ser abalado pelos gastos elevados do candidato. Desde o início do mês, Obama gastou mais de 85 milhões de dólares em propaganda, mais de metade do total da factura da campanha de John Kerry em 2004.