Última hora
This content is not available in your region

Forças da ONU na RD Congo impotentes para proteger população

 Forças da ONU na RD Congo impotentes para proteger população
Tamanho do texto Aa Aa

A cada hora que passa agrava-se a situação das populações do leste do Congo.

Á medida que os rebeldes tutsis, liderados pelo general Laurent Nkunda, avançam no terreno, acentuam-se os combates e a impotência das forças das Nações Unidas no território.

A sede da ONU em Goma foi alvo da revolta de grupos de civis que acusam as forças de paz de não conseguir proteger os habitantes.

Entratanto, em Genebra, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os refugiados confirma a gravidade dos incidentes:
“Já existem cerca de 800.000 a um milhão de pessoas deslocadas internamente nessa região, o que representa uma grande parte da população a precisar de ajuda. É uma situação de segurança muito difícil de gerir. Acontece que aqueles que foram obrigados a fugir das suas casas têm de vir até nós porque nós não podemos enviar equipas para o interior, existem demasiados combates e é muito perigoso, é a anarquia”, afirmou Ron Redmond, porta-voz do UNHCR.

Segundo as últimas informações, as forças rebeldes estavam a poucos quilómetros de Goma, capital da província oriental de Kivu Norte.

Os combates intensificam-se pouco depois de o presidente Joseph Kabila ter renovado o Governo e do comandante militar da missão da ONU na República Democrática do Congo ter apresentado demissão do cargo alegando motivos pessoais.