Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

1914-18: primeira guerra industrial

1914-18: primeira guerra industrial
Tamanho do texto Aa Aa

Primeira Guerra Mundial, a Grande Guerra ou Guerra das Guerras foi, além do mais, a primeira guerra industrial em que as novas tecnologias militares foram utilizadas nos campos de batalha. Armas modernas, algumas de destruição em massa que, no entanto, não impediram a evolução do conflito para uma guerra de trincheiras.

São a imagem da Grande Guerra, que fez 10 milhões de mortos em todas as frentes. Foram mobilizados 65 milhões de homens. Entre eles, combateu o jovem inglês Henry Allingam, actualmente com 112 anos. Ainda hoje conta, nas escolas, como foi a guerra e como sobreviveu a três batalhas.

Caiu na cratera feita por uma bomba. Erro fatal. Havia braços e pernas, carne humana em pedaços, pés, mãos… era horrível. Se tivesse escorregado um pouco mais à direita, não estaria aqui agora.

A maioria dos combates deu-se na Bélgica e na França. A ofensiva final dos aliados teve início a 28 de Setembro de 1918 na Flandres; os belgas sairam das trincheiras depois de quatro anos de luta. Um terço das 7000 baixas da Bélgica foi registado nessa ofensiva.

No fim da guerra, a França contava 1 394 000 mortos, a Alemanha 1 900 000, a Itália 650 000.

Allingam afirma que o que ele próprio pensa deve valer apenas como tal, o que ele pensa, mas está convicto de que há-de chegar a altura em que o mundo será uma imensa nação. E ele espera que não haja guerra, reza para que não haja guerra no mundo inteiro, porque ninguém vai ganhar a próxima guerra, ninguém.

A I Guerra Mundial, que todos achavam que seria a última, apaga-se da memória com o desaparecimento dos últimos veteranos…em breve, será apenas uma página sangrenta da história.