Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Quarto aniversário de Arafat marcado pela divisão

 Quarto aniversário de Arafat marcado pela divisão
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de palestinianos assinalaram na Cisjordânia o quarto aniversário da morte de Yasser Arafat, sob um fundo de divisões cada vez mais acentuadas.

A multidão confluiu para o mausoléu do líder histórico, na Muqata em Ramallah, para participar numa cerimónia onde o presidente da Autoridade Palestiniana não poupou críticas ao Hamas.

Mahmud Abbas acusou o movimento islâmico que controla a Faixa de Gaza de sabotar o diálogo interpalestiniano previsto para domingo no Cairo.

Abbas acusou o Hamas de “não querer o diálogo”, dando como exemplo a proibição das celebrações do aniversário em Gaza. O líder do Fatah fundado por Arafat disse ainda que o movimento islâmico teme a opinião do povo.

Na Faixa de Gaza, onde o Hamas proibiu as comemorações e dissolveu pela força várias concentrações de activistas do Fatah, o porta-voz do movimento islâmico criticou o discurso de Abbas.

Segundo Fawzi Barhoum “não é possível construir um futuro prometedor para a unidade nacional com um discurso duro, contraditório e cheio de ódio contra o Hamas”. Em Hebron, residentes palestinianos envolveram-se esta terça-feira em confrontos com soldados israelitas.

Esta cidade fortemente dividida da Cisjordânia onde foram mobilizados mais de quinhentos militares do Fatah é um ponto de tensão entre palestinianos e colonos israelitas.