Última hora
This content is not available in your region

Câmara de Jerusalém regressa às mãos dos laicos

 Câmara de Jerusalém regressa às mãos dos laicos
Tamanho do texto Aa Aa

Após cinco anos de domínio ultra-ortodoxo, a câmara de Jerusalém regressa às mãos dos laicos.

Nir Barkat, um empresário de 49 anos, venceu o escrutínio com 52,4% dos votos.

Na noite da vitória, o candidato independente, de direita, prometeu ser o presidente de todos os habitantes. Mas durante a campanha rejeitou qualquer concessão aos palestinianos em relação ao futuro estatuto da cidade santa, uma forma de conquistar o voto “religioso” que representa 30 por cento do eleitorado.

Apesar de terem posições idênticas nalgumas questões, ultra-ortodoxos e laicos vivem separados na cidade santa. Uma forma de evitar tensões entre duas comunidades com estilos de vida muito diferentes.

Barkat promete revitalizar a cidade e resolver os problemas financeiros da câmara. Muitos dos residentes são pobres. A população queixa-se de que a cidade está suja e deseja “mudança”.

Uma eleitora afirmou que a vitória de Barkat “é uma revolução” e que se trata de um “grande dia” para os habitantes de Jerusalém.

Outro cidadão israelita reconheceu que “candidato vem com muita energia para mudar as coisas e pode consegui-lo se todos cooperarem embora isso seja muito difícil”.

O escrutínio foi boicotado por um terço dos habitantes de Jerusalém. A população palestiniana não reconhece a anexação da parte oriental e muçulmana da cidade após a guerra de 1967.