Última hora
This content is not available in your region

PE aprova cartão azul mas...

PE aprova cartão azul mas...
Tamanho do texto Aa Aa

Sim ao cartão azul, mas cuidado com a fuga de cérebros dos países em desenvolvimento. Este é o sentido do voto do Parlamento Europeu, sobre o cartão que visa atrair, para a União Europeia, profissionais altamente qualificados. O parecer é meramente consultivo, mas os eurodeputados apelam a que cartão se aplique a outro tipo de empregos, menos qualificados.

Ewa Klamt, a relatora, explica as vantagens: “Este cartão garante uma admissão na União Europeia – em vez de 27 autorizações diferentes. Em segundo lugar, dá mobilidade ao imigrante, para poder mover-se livremente dentro da União Europeia – que é algo que não existe neste momento. E, terceiro ponto, os Estados membros precisam mesmo de imigrantes. Veja-se o exemplo do meu país, a Alemanha, temos 95 mil vagas para engenheiros.”

Os ministros da Administração Interna devem adoptar a legislação, na próxima semana. Os eurodeputados pedem-lhes que aumentem a fasquia do salário mínimo dos candidatos ao cartão azul – de uma vez e meia o salário bruto médio do país de acolhimento para 1,7.

Actualmente, apenas 1,2% dos trabalhadores altamente qualificados elege a União Europeia como destino. A maioria prefere os Estados Unidos e o Canadá.