Última hora

Bombas de fragmentação banidas por centenas de Estados

Bombas de fragmentação banidas por centenas de Estados
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As bombas de fragmentação foram banidas esta quarta-feira por mais de 100 países, incluindo Portugal. Uma iniciativa destinada a acabar com um flagêlo que desde os anos 60 já matou e mutilou perto de 100.000 pessoas, na sua esmagadora maioria civis. O acordo foi assinado em Oslo esta quarta-feira. “Hoje, nós confirmamos que as munições de fragmentação são banidas para sempre, que nós entre estados associados , organizações internacionais e a sociedade civil, fizémos avançar o mundo. Esta convenção vai fazer o mundo mais seguro, um local melhor para viver” afirmou o primeiro-ministro norueguês Jens Stoltenberg.

A convenção foi lançada em Maio passado, em Dublin, e estabelece que os Estados signatários destruam aquele tipo de munições que tenham armazenadas, nos próximos oito anos, bem como a limpeza das zonas onde as bombas se encontrem por explodir.

Os promotores da medida esperam poder convencer os maiores produtores e utilizadores de bombas de fragmentação, entre os quais os Estados Unidos, a Rússia, e a China, a assinar o acordo firmado na capital norueguesa.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.