Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Fábricas automóveis fazem paragens

 Fábricas automóveis fazem paragens
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As férias de Natal, nas fábricas de automóveis um pouco por todo a Europa, vão ser mais longas este ano. O sector está em crise, com as vendas em queda, e as fábricas vão ter de fechar por mais tempo.

Os empregados da Daimler, na Alemanha, juntaram-se numa mega-reunião onde a administração lhes explicou que iria haver várias paragens no trabalho e alguns fechos temporários.

“A longo prazo, alguns destes empregados vão provavelmente ser despedidos. Também não deve haver aumentos de salário tão cedo”, diz um perito no sector automóvel.

O grupo está a sofrer com a crise. As vendas da Mercedes caíram um quarto, no mês passado. Existe um acordo entre a administração e os sindicatos, que impede despedimentos no grupo até 2011.

Novembro foi um mês terrível para os grupos automóveis. A crise financeira causou uma crise na procura. Só em Espanha, as venda de carros caíram para metade. Países como o Reino Unido, a Itália, a Alemanha ou a França estão também a sofrer.

França, onde vai haver também paragens de trabalho. A fábrica da Peugeot-Citroen em Sochaux, no Nordeste do país, vai ficar fechada durante cinco semanas.

Os trabalhadores estão conformados com a decisão: “Não temos escolha. Ficamos sem trabalho durante três semanas, mas estamos em situação melhor que outros, como é o caso dos fornecedores externos, que não têm as mesmas condições que nós, em termos de pagamento das horas de paragem”, diz um operário.

Esta medida é a mais drástica do grupo, até agora, tendo em conta que esta fábrica é a maior de todo o grupo PSA. Os 14.000 empregados vão tirar férias obrigatórias e as instalações só voltam a abrir no dia 6 de Janeiro.