Última hora

10 mil fragmentos de ossos humanos descobertos em antigo centro de detenção na Argentina

10 mil fragmentos de ossos humanos descobertos em antigo centro de detenção na Argentina
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

É a primeira descoberta de restos mortais de vítimas da última ditadura argentina.

Nada mais nada menos do que 10 mil fragmentos de ossos foram encontrados num centro clandestino de detenção em Pozo de Arana, 60km a sul de Buenos Aires.

Nos próximos meses, tudo será analisado em laboratório. A Equipa Argentina Forense de Antropólogos, responsável pela descoberta, acredita que vai ser possível identificar vários corpos.

O presidente da organização explica que é a primeira vez que fazem escavações de forma intensiva num centro ilegal de detenção. para além das valas comuns, encontraramm corpos calcinados nos caixões.

E encontraram também um muro com mais de 200 impactos de bala, levando a crer que foi utilizado para fuzilamentos.

Este homem foi responsável por 21 campos clandestinos de detenção em Buenos Aires. Pozo Arana estava entre eles. Chama-se Miguel Etchecolatz, foi considerado culpado de 21 crimes. Mas saiu em liberdade depois de cumprir uma pequena parte da pena de prisão perpétua a que foi condenado.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.