Última hora
This content is not available in your region

Moscovo recebe Fórum de países exportadores de gás

Moscovo recebe Fórum de países exportadores de gás
Tamanho do texto Aa Aa

A Rússia preside esta terça-feira a uma reunião de países exportadores de gás em Moscovo.

O encontro é visto com desconfiança por parte das nações consumidoras, que se opõem à criação de um cartel que influencie os preços da matéria-prima,à semelhança do que acontece com o petróleo. O encontro na capital russa vai reunir uma dúzia de membros do Fórum de países exportadores de gás. Para o perito em Energia, Tom Mundy, a Rússia “terá vantagens” num eventual “cartel de produtores de gás, porque assumirá claramente a liderança. Será capaz de exercer pressão globalmente em termos da exportação e preços do gás”. Mundy acrescenta que, no entanto, “é difícil ver como [um cartel desse tipo] será rapidamente formado” no contexto actual. O gás está no centro de um conflito tenso entre a Rússia e a Ucrânia. Kiev deve mil e quatrocentos milhões de euros ao gigante russo Gazprom, que alertou os clientes europeus para a eventualidade de problemas no fornecimento. Oitenta por cento do gás russo com destino à Europa passa por território ucraniano. Andrew Somers, representante da Câmara do Comércio Norte-Americana na Rússia, defende que o Kremlin “está concentrado na resolução da crise financeira global e não focado na questão da pressão do gás”. De Minsk chegaram boas notícias para a Europa. O presidente bielorusso Alexandre Lukashenko e o homólogo russo Dmitri Medvedev obtiveram um acordo sobre o preço do gás fornecido à Bielorrússia em 2009, deixando aberta uma alternativa para o abastecimento aos países europeus.
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.