Última hora
This content is not available in your region

Orçamento da mudança atira défice americano para valores recorde

Orçamento da mudança atira défice americano para valores recorde
Tamanho do texto Aa Aa

Não virá a ser um best-seller, mas são muitos os que já compraram “Uma nova era de responsabilidade – Renovando a promessa americana”, o primeiro orçamento de Barack Obama.

Uma proposta que representa uma mudança de rumo radical nos investimentos e reformas mas que atira o défice para o valor mais alto desde a II Guerra Mundial. 1 Bilião 750 mil milhões de dólares, mais de 12% do PIB, é o défice previsto para este ano na proposta do presidente que corrige as previsões de 2009 e apresenta um plano para o período 2010-2019. A partir de 2010 Obama prevê aumentar a carga fiscal dos mais ricos e reduzir-lhes as deduções, cortes nos impostos para a classe média e lança as bases para avançar na cobertura médica universal, na melhoria das escolas ou ainda na independência energética americana. Depois do recorde, o défice deve cair para 3% do PIB em 2013. A proposta já foi entregue no Congresso onde se prevê novo braço-de-ferro, já que é necessário o apoio de alguns republicanos para o orçamento ser aprovado. O líder da minoria, John Boehner, já disse que “o aumento dos impostos em plena recessão” não é a “melhor solução” e manifestou “preocupações” em relação ao plano. O debate promete ser acesso num Congresso pressionado por uma crise que se agrava de dia para dia. Pela primeira vez na história o desemprego nos Estados Unidos atinge mais de 5 milhões de pessoas. Obama promete criar ou salvar mais de 3 milhões de empregos nos próximos anos. Quanto à defesa, os cortes não são para já. Em 2010 o orçamento cresce mesmo 1,5% com uma parte a financiar as guerras no Afeganistão e no Iraque: para a primeira vão ser enviadas mais tropas; a segunda fica a conhecer hoje o calendário para a retirada americana .
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.