Última hora
This content is not available in your region

Líderes políticos garantem estabilidade do processo de paz na Irlanda do Norte

Líderes políticos garantem estabilidade do processo de paz na Irlanda do Norte
Tamanho do texto Aa Aa

O processo de paz na Irlanda do Norte é inabalável. A garantia é dada pelos líderes políticos britânicos e norte-irlandeses numa altura em que todos se questionam sobre as consequências do atentado do passado sábado numa caserna.

O primeiro-ministro britânico visitou hoje a Irlanda do Norte e encontrou o número dois do governo de Belfast, Martin McGuiness, membro do Sinn Fein. No final, Gordon Brown afirmou: “Hoje vi a unidade do povo da Irlanda do Norte e dos partidos políticos. Estão unidos em relação ao processo de paz, que construíram ao longo de muitos anos e que vão continuar a construir. Enviam a mensagem de que o processo político não será nunca afectado. O processo é inatacável”. No atentado faleceram dois soldados britânicos, os primeiros a morrerem na Irlanda do Norte nos últimos 12 anos. O ataque foi reivindicado pelo IRA Verdadeiro, facção que se separou do Exército Republicano Irlandês em 1997, um ano antes da assinatura dos Acordos de paz de Sexta-feira Santa. O campo republicano apressou-se a condenar o ataque. Gerry Adams, líder do Sinn Fein, afirma que o movimento republicano não apoiou tal acção e que o partido fará tudo para que não haja ambiguidade em torno de um acto contraproducente e que não deveria ter ocorrido. Adams vai mais longe e pediu à população que ajude a polícia a encontrar os culpados. O atentado ocorre em plena polémica sobre o regresso de forças especiais britânicas ao Ulster para reforçar a vigilância dos dissidentes, suspeitos de estarem na origem da escalada de violência dos últimos meses. Falta saber qual será a reacção dos extremistas protestantes.
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.