Última hora
This content is not available in your region

Breve retrato do 'monstro' de Amstetten

Breve retrato do 'monstro' de Amstetten
Tamanho do texto Aa Aa

Foi em Abril do ano passado que o caso do “monstro de Amstetten” veio pela primeira vez a público, provocando uma onda de choque e indignação.

Uma cave sem janelas da residência da família Fritzel escondeu, desde 1984, uma história de violações incestuosas consecutivas. As investigações policiais só foram desencadeadas quando uma das três filhas-netas, que permanecia encarcerada com a filha Elizabeth de 42 anos, adoeceu gravemente. O internamento num hospital, que incluiu a retirada de amostras de ADN, confirmou a paternidade dos seis filhos e o depoimento de Elizabeth levou à sua detenção. Fritzel acabaria por confirmar parte do testemunho, nomeadamente que começou a violar a filha aos 11 anos, e a morte de uma das crianças que confessou ter incinerado. Em Maio de de 2008, a imprensa austríaca revelou que o engenheiro tornado agente imobiliário tinha cometido vários delitos sexuais na década de 60 que no entanto acabaram por prescrever. Em finais e Dezembro do ano passado, Elizabeth e os seis filhos-irmãos foram viver numa morada secreta mas acabaram por voltar ao hospital psiquiátrico depois de o endereço ter sido descoberto pela imprensa internacional.