Última hora
This content is not available in your region

Fritzl admite violações mas rejeita acusação de assassínio

Fritzl admite violações mas rejeita acusação de assassínio
Tamanho do texto Aa Aa

Josef Fritzl declarou-se esta segunda-feira culpado dos crimes de sequestro, violação e incesto.

O austríaco, conhecido como o “monstro” de Amstetten por ter mantido a própria filha cativa durante 24 anos, apareceu pela primeira vez em público desde que foi detido em Abril de 2008. Na primeira sessão do Julgamento, o arguido negou no entanto ter assassinado uma criança recém- nascida, fruto da relação incestuosa que manteve com a filha Elisabeth e da qual nasceram sete filhos-netos. Fritzl enfrenta uma sentença que pode ser de prisão perpétua embora os analistas refiram que será difícil provar a acusação mais grave por assassínio. Foi na casa onde vivia com a família que o engenheiro reformado manteve a filha e três dos filhos-netos sobrevivente sequestrados, numa cave de 11 metros quadrados e à prova de som. Outras três crianças foram autorizadas a viver com os avós no andar de cima, facto que alimenta as dúvidas sobre o grau de conhecimento da senhora Fritzl das acções do marido. Nas declarações iniciais, a acusação afirma ainda que, durante os primeiros anos de cativeiro, Elisabeth não tinha água quente, chuveiro ou aquecimento. Elizabeth e os filhos-irmãos estarão a viver actualmente em local secreto e com novas identidades. O septuagenário Joseph Fritzl já tinha declarado desde o início que esperava acabar o resto dos seus dias na prisão. O julgamento decorre na pequena cidade austríaca de Sankt Polten e a sentença deverá ser proferida no final desta semana.