Última hora
This content is not available in your region

Líderes europeus insistem na reforma da finança internacional

Líderes europeus insistem na reforma da finança internacional
Tamanho do texto Aa Aa

Os Vinte e Sete não estão dispostos a abrir mais os cordões à bolsa, pelo menos para já. Reunidos na cimeira de Bruxelas, os líderes europeus insistem na reforma da arquitectura financeira internacional.

A duas semanas da cimeira do G20, em Londres, os Vinte e Sete parecem, pois, apostar na regulação da finança internacional como uma arma igualmente eficaz contra a crise. Quanto a mais planos de relançamento económico, como pedem os Estados Unidos, talvez sim, mas só depois de ver se os actuais planos dão frutos. “Não se trata de dizer: vamos estimular a economia ou vamos fazer a reforma da regulação e da supervisão. Nós precisamos de ambos”, garante o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso. E quando o FMI prevê um recuo do PIB mundial, pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial, os Vinte e Sete divergem sobre uma das raras medidas anticrise a ser financiada pelo orçamento comunitário: cinco mil milhões de euros para um projecto de infra-estruturas de energia e internet. Certos países querem incluir no projecto o gasoduto Nabucco, outros preferem acções mais imediatas. O aumento do desemprego na Europa preocupa também os Vinte e Sete e uma cimeira especial sobre o tema foi agendada, para 7 de Maio, pela presidência checa da União. Os líderes europeus divergem também sobre o tipo de ajuda a atribuir aos países de Leste, os mais atingidos pela crise.
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.