Última hora
This content is not available in your region

Papa critica efeitos da globalização em África

Papa critica efeitos da globalização em África
Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 60 mil pessoas assistiram esta manhã à missa campal celebrada pelo papa em Yaoundé, nos Camarões.

Ao terceiro dia da viagem de Bento XVI a África, o banho de multidão acalmou por momentos a polémica criada pelas declarações sobre o uso do preservativo. O sumo pontífice dedicou a homilia aos pobres e às vítimas da violência no continente, citando ainda, “os efeitos nefastos da globalização sobre a vida tradicional africana”. Num continente que actualmente regista uma expansão acelerada do cristianismo, Bento XVI não deixou de lembrar a posição da igreja sobre o aborto, pedindo às famílias para que, “dêem prioridade à vida como um presente de Deus”. O papa desloca-se amanhã a Angola onde termina a visita de uma semana a África, a primeira do pontificado. O regresso à Europa anuncia-se atribulado, depois de varios países e mesmo a Comissão Europeia terem criticado as posições do papa sobre a prevenção da SIDA. Nos últimos dias, comunicados e declarações reafirmam que, ao contrário das afirmações de Bento XVI, o preservativo é a forma mais eficaz de evitar a propagação da doença.