A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Uma hora às escuras para lutar contra aquecimento global

Uma hora às escuras para lutar contra aquecimento global
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Dos Estados Unidos à Índia ou da Austrália a Itália, milhares de cidades participaram este sábado na hora do planeta. Edifícios e monumentos apagaram as luzes por uma hora – a mensagem simbólica de que é preciso fazer mais para combater o aquecimento global.

Fransceco Totti, capitão da equipa da Roma, foi convidado a desligar a luz do coliseu. “É urgente agir. Apenas temos um mundo. Temos que agir imperativamente agora”, disse o futebolista. Londres, Paris, Berlim, Lisboa, não escaparam à iniciativa lançada pela primeira em 2007, pela organização ambientalista WWF. No ano passado, a ideia e mobilizou 50 milhões de pessoas em todo o mundo. Nesta edição, as expectativas foram superadas pois estima-se que participaram no gesto mil milhões de pessoas, de 3 mil cidades. O director-geral da WWF internacional diz que centenas de milhões de pessoas tiveram a oportunidade de demonstrar a sua preocupação sobre as alterações climáticas e enviaram uma forte mensagem aos dirigentes mundiais. O presidente norte-americano Barack Obama convidou este sábado líderes das 16 maiores economias do mundo para debater o tema Energia e Aquecimento em Washington, no final do próximo mês.