Última hora
This content is not available in your region

Notas dissonantes no executivo israelita

Notas dissonantes no executivo israelita
Tamanho do texto Aa Aa

Divergêncis no seio do governo israelita por causa do reatamento do diálogo com a Síria.

O líder da extrema direita, Avigdor Lieberman que detém o ministério dos Negócios estrangeiros rejeitou numa entrevista reabrir o diálogo com Damasco que acusa de apoiar grupos terroristas. Mas o ministro da Defesa, Ehud Barack, também lider dos trabalhistas quer que as negociações com a Síria sejam mantidas na agenda do governo. “Um acordo com a Siria é de uma extrema importância para o Estado israelita, protegendo obviamente os nossos interesses vitais, o diálogo com a Síria deve constar sempre na agenda governamental”. A Síria está disposta a retomar as negociações de paz com Israel, sob mediação turca, se o novo Governo Benjamin Netanyahu aceitar o que já foi acordada com o Executivo cessante de Ehud Olmert. Uma dessas condições “é a retirada total de Israel dos Montes Golã”, que ocupa desde a guerra de 1967. A Turquia serviu de intermediário em quatro rondas de negociações em 2008 entre os Governos sírio e israelita, suspensas quando se iniciou a ofensiva hebraica na Faixa de Gaza em Dezembro.
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.