Última hora
This content is not available in your region

Tripoli aceita pela primeira vez receber imigrantes clandestinos

Tripoli aceita pela primeira vez receber imigrantes clandestinos
Tamanho do texto Aa Aa

A Líbia aceitou pela primeira vez receber 227 imigrantes clandestinos, interceptados pela Marinha italiana nas águas do Mediterrâneo.

O governo italiano saudou a operação, no quadro de um acordo assinado entre Roma e Tripoli que prevê uma maior cooperação na luta contra a imigração clandestina. Mas a organização Médicos Sem Fronteiras denunciou uma “repatriação forçada”, dizendo que o envio dos imigrantes para o porto de Tripoli sem serem processados na costa italiana constitui uma violação do direito internacional. A ONU lembra que a Líbia não assinou a Convenção de Genebra sobre refugiados e não tem qualquer dispositivo de asilo político. Um porta-voz da agência das Nações Unidas para os Refugiados diz que “o incidente marca uma mudança significativa na política do Governo italiano e é bastante preocupante. A falta de transparência é profundamente lamentável”. Os imigrantes seguiram para a Líbia depois de Itália e Malta descartarem responsabilidades. Um incidente semelhante ao do navio comercial que em Abril resgatou mais de cem imigrantes em águas maltesas. Roma apontava responsabilidades a Malta, que dizia que o barco devia ir para o porto mais próximo, na ilha italiana de Lampedusa.