Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Gordon Brown rejeita demitir-se

Gordon Brown rejeita demitir-se
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Com a demissão de sete membros do governo em quatro dias, Gordon Brown não tinha outra alternativa que não fosse uma remodelação governamental.

O primeiro-ministro britânico convocou uma conferência de imprensa na qual se esperava que anunciasse os novos nomes do seu executivo, mas acabou por tentar justificar o facto de não se demitir com as reformas adoptadas recentemente pela sua equipa governativa. “Assumo as minhas responsabilidades, mas não vou abandonar as minhas obrigações para com o país. A razão pela qual disse que fui honesto foi porque devíamos ter agido antes em relação à questão das despesas dos deputados, todos nós, e peço desculpa por termos falhado nesse aspecto. Temos que limpar rapidamente o sistema político e acredito ser a pessoa capaz de o fazer”, sublinhou. No que diz respeito à remodelação governamental, destaque para a permanência no Comércio de Peter Mandelson, que assume ainda o estatuto de número dois do governo. David Miliband mantém a pasta dos Negócios Estrangeiros. Alistair Darling, que no seguimento do escândalo das ajudas de custo chegou a ser dado como demissionário, permanece nas Finanças. Bob Ainsworth é nomeado ministro da Defesa, depois da demissão, esta sexta-feira, de John Hutton. Alan Johnson passa da Saúde para o Interior. Yvette Cooper substitui James Purnell no Ministério do Trabalho e Pensões.