Última hora
This content is not available in your region

Falência da Arcandor põe em risco 43.000 empregos na Alemanha

Falência da Arcandor põe em risco 43.000 empregos na Alemanha
Tamanho do texto Aa Aa

O grupo retalhista alemão Arcandor declarou falência, pondo em risco 43 mil empregos. Segundo os sindicatos, o número eleva-se a 56 mil postos de trabalho.

A abertura do processo de insolvência acontece depois do Governo alemão ter recusado uma garantia pública de 650 milhões de euros para resgatar a empresa. Uma cliente das lojas do grupo afirma que “não é surpreendente. Ouve-se falar do encerramento de empresas por todo o lado. É uma pena ver fechar as lojas, mas há outros comércios. O pior é para os empregados, porque para eles as perspectivas não são boas”. Outro cliente diz que “é uma pena que se chegue a esta situação”, mas compreende “muito bem porque é que o Governo não quer ajudar” a Arcandor. A chancelaria considera que o grupo comercial e turístico é vítima de erros de gestão que antecedem a crise económica, o que não o qualifica para receber ajudas de emergência. A falência afecta as lojas Karstadt e as actividades de venda à distância Primondo e Quelle. 60 por cento dos armazéns Karstadt poderão ainda ser “resgatados” através de uma fusão com o grupo retalhista Metro. A agência de viagens Thomas Cook – da qual a Arcandor detêm uma participação maioritária de 53 por cento – é a única filial do grupo que não é afectada pelo processo de falência, a par com outras actividades subsidiárias.