Última hora
This content is not available in your region

Alargamento no programa sueco de presidência da UE

Alargamento no programa sueco de presidência da UE
Tamanho do texto Aa Aa

A duas semanas de assumir a presidência da União Europeia, a Suécia deixou bem claro que a porta vai estar aberta para todas as democracias do velho continente. Por isso as negociações com a Turquia e a Croácia são parte do plano.

Estocolmo vai assumir a presidência semestral a um de Julho e, na voz do seu ministro dos Negócios Estrangeiros, foram minimizados os receios de Paris e de Berlim em relação à candidatura de Ancara a membro de pleno direito do clube europeu. Para Carl Bildt, “existe uma campanha clara contra o alargamento da União, nalguns casos explícita contra a Turquia e contra os muçulmanos em alguns países europeus. Todos são democracias, e essa é a força da União Europeia. O alargamento é um tema que necessita de diálogo público”, indicou Bildt, sublinhando que não partilha dessas posições. O presidente francês Nicolas Sarkozy é um dos líderes que prefere uma parceria especial com a Turquia. E a recente vitória dos partidos que se opõem à entrada de Ancara, durante as eleições europeias, não facilita o diálogo de adesão. Quanto à entrada da Croácia, tudo aponta para que as negociações não se completem até ao final do ano. Entre outras coisas, Zagreb mantém um diferendo fronteiriço que a opõe à Eslovénia.