Última hora
This content is not available in your region

Polícia tenta travar confrontos étnicos em Xinjiang

Polícia tenta travar confrontos étnicos em Xinjiang
Tamanho do texto Aa Aa

O aumento da violência levou ao reforço do contingente policial na região de Xinjiang.

Na tentativa de conter os confrontos étnicos, as autoridades de Urumgi decretaram um recolher obrigatório a partir das nove da noite até às oito da manhã da próxima quarta-feira. Milhares de pessoas da comunidade Han – a etnia dominante a China – voltaram a envolveram-se em confrontos pelo terceiro dia consecutivo com a principal comunidade muçulamana de Xinjiang: os Uigures. Horas antes, cerca de duas centenas de mulheres protestaram contra o governo regional. Em causa estão as alegadas detenções arbitrárias levadas a cabo na sequência dos confrontos de domingo. O porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Rupert Colville, considera que é necessário avançar com uma investigação independente para apurar responsabilidades. Os apelos à calma multiplicam-se um pouco por todo o mundo. A Chanceler alemã anunciou, entretanto, que pretende falar com o presidente chinês sobre os tumultos, à margem da cimeira do G8 que arranca quarta-feira em Itália. A onda de violência já provocou mais de centena e meia de mortos e cerca de um milhar de feridos.
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.