A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Assassínio de Estemirova choca o mundo

Assassínio de Estemirova choca o mundo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A comunidade internacional, onde se incluem as organizações não governamentais e, em particular a Memorial, estão chocadas e indignadas com a morte de Natalia Estemirova.

O presidente da Memorial, associação para a qual Estermirova trabalhava desde 2000, afirma que, em princípio, o responsável por esta morte é Ramzan Kadyrov, o presidente da república tchetchena. Oleg Orlov garante que Kadyrov odiava Natalia Estemirova e que, várias vezes, falou dela de uma forma extremamente crítica. Por seu lado Kadirov qualificou de desumano o assassínio da activista e prometeu não poupar esforços para levar a investigação até ao fim. Estemirova foi encontrada morta na república russa da Inguchétia, nove horas depois de ter sido raptada quando saía de casa, na Tchetchénia. A activista estava a investigar casos de alegados raptos, tortura e homicídios cometidos por tropas russas ou forças paramilitares na Tchetchénia. Natalia Estemirova era também jornalista e colaboradora próxima de Anna Politkovskaia, assassinada em 2006. Deixa uma filha adolescente.