Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Israel: ataque a bar gay pode ter motivações homofóbicas

Israel: ataque a bar gay pode ter motivações homofóbicas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A comunidade gay israelita está em choque e acredita que se tratou de um crime de ódio contra os homossexuais. Por medida de precaução, a polícia ordenou o encerramento dos bares gay da cidade.

Este activista israelita diz que o maior choque é que o ataque aconteceu em Tel Aviv, a cidade mais tolerante do país. É uma cidade jovem, livre, onde as pessoas se sentem seguras, especialmente no local onde aconteceram os disparos, explica Avi Sofer. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu lançou hoje um apelo à tolerância dos seus compatriotas. O vice-primeiro ministro afirma que se tratou de um choque para todo a gente. “Penso que o que se passou ontem foi um massacre que não podemos tolerar nem aceitar. Espero que a polícia tome todas as medidas possíveis para encontrar o assassino, que é um terrorista, e levá-lo a tribunal”. Ontem, centenas de pessoas manifestaram-se no centro de Tel Aviv. Se a investigação provar que se trataram de motivos homofóbicos, será o atentado mais grave cometido contra gays e lésbicas no país. Em 2005, um judeu ortodoxo apunhalou três participantes num desfile de orgulho gay. Foi condenado a 12 anos de prisão. Apesar dos episódios de hostilidade, a homossexualidade é legal em Israel desde 1988.