Última hora

Última hora

Trabalhadores da ThyssenKrupp de Emden contra fecho de estaleiro naval

Em leitura:

Trabalhadores da ThyssenKrupp de Emden contra fecho de estaleiro naval

Trabalhadores da ThyssenKrupp de Emden contra fecho de estaleiro naval
Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de trabalhadores da ThyssenKrupp, em Emden, manifestaram-se às portas das instalações contra o fecho do estaleiro naval do norte da Alemanha.

A empresa de sistemas marinhos acordou a venda das instalações e terrenos à Siag Schaaf Industrie, que vai criar na zona um parque eólico. Agricultores locais juntaram-se ao protesto em solidariedade. Kerl-Heinz Benner, membro do conselho de trabalhadores explica que “foi dito aos colegas de trabalho que aqui já não se construiriam mais navios. Todos eles têm fortes laços à indústria naval e esta notícia deixou-os muito afectados”, revela. Dos 1196 empregados do estaleiro, 375 vão manter-se ligados a ThyssenKrupp, 721 passarão para a Siag, 100 deverão rescindir amigavelmente o contrato ou reformar-se. A sindicalista Jutta Blankau, afirma que esta é uma má noticia para os construtores de navios do Norte da Alemanha. “Significa que a empresa vai concentrar-se apenas na construção naval militar. Existe um estaleiro em Hamburgo mas não sabemos quanto tempo pode ainda durar”, diz Blankau. Este é mais um passo na reestruturação da ThyssenKrupp face à crise global. Só nos últimos meses, o grupo já cortou 16 mil postos de trabalho em todo o mundo.