Última hora
This content is not available in your region

Adiamento da votação do relatório Goldstone revolta palestinianos

Adiamento da votação do relatório Goldstone revolta palestinianos
Tamanho do texto Aa Aa

Em Ramallah, manifestantes palestinianos mostraram o seu desagrado contra o líder da Autoridade Palestiniana atirando sapatos à sua imagem.

Em causa está a decisão de Abbas adiar a votação do relatório Goldstone no Conselho dos Direitos Humanos, nas Nações Unidas. O documento que trata os crimes de guerra cometidos na faixa de Gaza durante o conflito que opôs israelitas e palestinianos, entre Dezembro de 2008 e Janeiro de 2009. Um habitante de Ramallah deu voz ao seu descontentamento: “Alguém como o Mahmoud Abbas que abandonou a causa merece esta reacção e ainda mais. Ele já vendeu o país uma vez. Ele é um mau Presidente”, diz. O povo palestiniano acredita que a decisão do líder da ANP é uma traição à causa nacional. O juiz Richard Goldstone é o responsável pela elaboração do relatório com perto de 600 páginas, onde estão as conclusões da investigação a 36 incidentes ocorridos durante a ofensiva. Israel e o movimento radical Hamas repartem responsabilidades. Segundo o mesmo, durante a operação morreram 1.400 civis palestinianos, três civis e 10 soldados israelitas. Goldstone recomenda ainda ao Conselho de Segurança que obrigue o Estado israelita e as autoridades de Gaza a darem informações, caso isso não aconteça no prazo de seis meses, exorta a que a investigação seja transferida para o Tribunal Penal Internacional.