Última hora
This content is not available in your region

Falhou acordo para solucionar crise nas Honduras

Falhou acordo para solucionar crise nas Honduras
Tamanho do texto Aa Aa

Caiu por terra o acordo que deveria pôr fim a quatro meses de crise política nas Honduras.

O campo de Manuel Zelaya declarou o “fracasso” do acordo Tegucigalpa-San José, depois do presidente de facto, Roberto Micheletti, anunciar a formação de um “governo de unidade” sem incluir partidários do chefe de Estado deposto. O líder do Movimento de Resistência (pró-Zelaya) diz que “os Estados Unidos e a Organização dos Estados Americanos não estão a fazer nada, por isso se não derem provas em contrário serão chamados ‘cúmplices’ do golpe de Estado”. O executivo interino saído do golpe militar de 28 de Junho apresentou ontem demissão para abrir caminho ao novo governo. Pressionados pelos Estados Unidos, Zelaya e Michelleti tinham chegado a um entendimento na semana passada para formar um executivo de unidade, mas tanto o presidente interino como o chefe de Estado deposto pretendiam assumir a liderança. Michelleti reconheceu que o governo apresentado não conta com representantes de Zelaya, mas diz ter consultado alguns partidos políticos e outros sectores da sociedade civil. Zelaya apelou aos países da Organização dos Estados Americanos para “continuarem a condenar e ignorar o regime de facto” de Michelleti.
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.