A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

A Ucrânia presta homenagem às vitimas da Grande fome

A Ucrânia presta homenagem às vitimas da Grande fome
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Capela Ucraniana de Rito Bizantino promoveu um memorial religioso para lembrar os que morreram no genocidio de 1932-1933.

Os ucranianos chamam “holodomor” ou exterminação pela fome ao genocídio cometido na era soviética dominada por Estaline e que terá causado entre sete a dez milhões de mortos O presidente Vitor Yuchenko e a primeira-ministra participaram nas cerimónias. O chefe de Estado denunciou “um genocídio praticado com a cumplicidade das elites intelectuais, políticos e religiosos da altura. A Ucrânia conseguiu convencer vários países sobre o reconhecimento deste acto como genocídio à luz da Convenção sobre prevenção de genocidos de 1948. A Holodomor é já reconhda pelas Nações Unidas e pelos parlamentos nacionais de um certo número de Estados membros da OSCE. Grande Fome representou um dos mais trágicos capítulos da História da Ucrânia, devido ao enorme custo em vidas humanas. A campanha de Estaline foi acompanhada de uma repressão policial – como instrumento para punir os camponeses reticentes à colectivização agrícola e para esmagar o “nacionalismo ucraniano”, visto como um obstáculo ao projecto de construção de um Estado soviético centralizado e ditatorial.