Última hora
This content is not available in your region

Uma cimeira sem carbono

Uma cimeira sem carbono
Tamanho do texto Aa Aa

Negociar um acordo sobre clima, numa cimeira isenta de carbono – é isto que os organizadores da COP 15 esperam.

O transporte amigo do ambiente está por toda a parte, com oferta gratuita.

Os dinamarqueses querem que a cimeira das Nações Unidas seja uma mostra da vida sustentável. O campeão da causa é o homem conhecido em Copenhaga como o ‘autarca das bicicletas’. É Klaus Bondam, vice-presidente da câmara de Copenhaga:

“A cidade de Copenhaga investiu 30 a 40 mil milhões de euros na COP15. É, naturalmente, muito investimento que, a prazo, beneficia também os nossos cidadãos. Criámos espaço para muitas atividades, para a COP15 no quarteirão da própria Câmara Municipal, com muitos concertos de rock e outras coisas que, esperamos, atraiam os jovens que vêm à nossa cidade e lhes dêem esperança e que impeçam qualquer acção violenta”

O número de delegações dos diferentes países surpeendeu os organizadores.

Ninguém quis ficar de fora desta cimeira do clima. Mas os críticos dizem que a presença de gente que veio de longe deixou um rasto enorme de carbono.

“O meu país é no centro de África, sou da República Centro Africana…meio de transporte, vim de avião”, diz uma das participantes.

E outra completa:

“Eu venho do Nepal e vim de Avião. De Katmandu a Dehli, de Dehli a Viena e de Viena a Copenhaga”.

Os anfitriões dinamarqueses tentam encontrar maneiras de transportar toda a gente.

Uma turbina de vento transforma sopros em combustível biológico. Há uniformas feitos de plástico reciclado e, nas cantinhas os alimentos são todos biológicos.

Jan-Christoph Napierski, chefe do Departamento de Sustentabilidade da COP15 diz o que está previsto, para reduzir os efeitos nefastos:

“A COP15 provocará, aproximadamente, 40 milhas de toneladas de equivalentes a C02. Contamos não só o CO2, mas também as outras emissões de gás da casa verde. Estas emissões de gás da casa verde serão deslocadas para o Bangladesh, por um projecto que estamos a elaborar, incluindo duas fábricas, com muito mais energia eficaz, usando menos carvão na produção. Isto não será positivo apenas para a qualidade do ar na região mas reduzirá o CO2 significativamente”.

Estas iniciativas fazem a COP15 verdadeiramente original. É uma das maiores conferências das Nações Unidas e a primeira grande tentativa, para neutralizar o carbono. Quando se discute a sua escala, a maioria concorda que alcangar um acordo aqui é tão difícil que não deve haver obstáculos”.