Última hora
This content is not available in your region

Segurança do Papa revista após incidente na Basílica de São Pedro

Segurança do Papa revista após incidente na Basílica de São Pedro
Tamanho do texto Aa Aa

A protecção do Papa é posta em causa depois do incidente na Basílica de São Pedro. O Vaticano anunciou uma revisão das medidas de segurança.

Os controlos de acesso à Praça de São Pedro – e sobretudo à Basílica – foram fortemente reforçados desde o 11 de Setembro de 2001, face à ameaça de ataques terroristas contra a “capital” do Catolicismo.

Segundo dados raramente tornados públicos acerca de segurança papal, a protecção directa do Sumo Pontífice é assegurada por cerca de 350 pessoas: 110 membros da Guarda Suíça, uma centena de polícias do Vaticano e 140 elementos das forças de segurança italianas.

No entanto, o reverendo Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, lembra que “as pessoas querem ver o Papa de perto. Uma situação onde o risco é zero é irrealista quando há um contacto directo com o povo”.

Bento XVI já foi alvo de várias tentativas de agressão. Em 2007, um alemão com problemas mentais tentou saltar para a viatura papal na Praça de São Pedro, mas foi rapidamente controlado.

A segurança pessoal do líder da Igreja Católica sofreu uma profunda revisão depois da tentativa de assassinato contra João Paulo II, a 13 de Maio de 1981.

O Papa foi gravemente ferido ao ser alvejado pelo turco Mehmet Ali Agca quando circulava na praça do Vaticano num jipe aberto.