Última hora

Última hora

Número de baixas ocidentais no Afeganistão aumentou em 2009

Em leitura:

Número de baixas ocidentais no Afeganistão aumentou em 2009

Número de baixas ocidentais no Afeganistão aumentou em 2009
Tamanho do texto Aa Aa

Os Talibãs reivindicaram os atentados que resultaram na morte de 8 civis norte-americanos e 5 canadianos.

No primeiro ataque um suicida fez-se explodir numa base americana junto a um grupo de agentes da CIA esta quarta-feira.

O kamikaze entrou nas instalações envergando uma farda do exército afegão. Uma táctica que está a revelar-se difícil de combater.

“Eles transformaram-se num veículo de infiltração para os talibãs. E isso é com certeza uma fraqueza na nossa estratégia e no objectivo de avançar com a entrega da segurança aos afegãos, se não sabemos em quem confiar”, explica Christine Fair da universidade de Georgetown.

A base operacional Chapman fica na província de Khost, no leste do país e junto à fronteira paquistanesa.

No segundo ataque, ocorrido na véspera, cinco canadianos, quatro militares e uma jornalista, morreram quando o veículo blindado onde seguiam foi destruído por um engenho explosivo. O ataque ocorreu na cidade de Kandahar, bastião talibã no sul do país. Michelle Lang tinha chegado há pouco ao Afeganistão e foi a primeira jornalista canadiana a morrer no território.

Apesar dos reforços militares ocidentais em solo afegão, os rebeldes ganham terreno. Em 2009, a violência atingiu o pico mais alto desde o derrube dos Talibãs em 2001.