Última hora
This content is not available in your region

Americanos detidos negam tráfico de crianças no Haiti

Americanos detidos negam tráfico de crianças no Haiti
Tamanho do texto Aa Aa

Os dez norte-americanos presos preventivamente e suspeitos de tráfico de 31 crianças haitianas asseguram lutar contra este crime.

Cinco homens e cinco mulheres com passaporte dos Estados Unidos foram identificados como membros de um grupo chamado “Refúgio para a nova vida das crianças”. A polícia interceptou-os na fronteira do Haiti com a República Dominicana.

Interpelados pelas autoridades dizem que a única intenção é a de ajudar vítimas do sismo, principalmente por causa do impasse do Governo haitiano.

A este impasse junta-se agora um novo foco de tensão com as autoridades da Florida, que têm recebido grande parte das vítimas.

Os americanos suspenderam a evacuação dos feridos para os Estados Unidos. Alegam razões económicas e de logística.

A notícia caiu mal e já provocou reacções.

“Há alguns feridos que têm dinheiro. Partiram para Santo Domingo, em Miami, ou para a Martinica. Mas para outros não é bem assim”, disse o ministro da saúde haitiano, Alex Larsen.

O governador da Florida convidou Washington a custear parte dos medicamentos e pediu a colaboração de outros estados.

Entretanto, as Nações Unidas anunciaram que vão arrancar este domingo com uma nova campanha de distribuição maciça de alimentos, na capital haitiana, Port-au-Prince.

Desde que a terra tremeu no Haiti, a 12 de Janeiro, já morreram mais de 200 mil pessoas.